Pesquisa personalizada

Olá Amigos e Amigas, Bem vindo!!!

A idéia deste Blog é com o intuito de fornecer informações sobre Ervas e Insumos em geral.

Através de um estudo arduo e minuncioso, conseguimos trazer para vocês informações sobre cada Erva para auxilio de estudo e orientação quanto ao uso.

Vale salientar que todas as Ervas publicadas neste Blog são de fontes verdadeiras. Essas são encontradas sempre ao final de cada texto.

Espero que este Blog seja útil para todos vocês e se possível divulguem para que possamos trocar idéias a respeito dessas maravilhas que a Natureza nos oferece de graça.

Voltem sempre, pois estaremos semanalmente atualizando este Blog com outras Ervas.

Para encontrar a sua erva preferida, clique nas datas ao lado e boa leitura!!!

Abraços,

sexta-feira, 13 de março de 2009

Coculus

Trata-se de uma espécie com folhas ovadas a cordadas, com inflorescências do tipo panícula geralmente inserida no caule. O fruto é uma drupa globosa a reniforme, aproximadamente, escuro e contendo uma semente em formato de ferradura.

Nome Científico: Cocculus suberosus DC. Sinonímia: Cocculus indicus; Anamirta paniculata Colerb.; Anamirta baueriana Endl.; Anamirta cocculus Wight et Arn.; Anamirta flavescens Miq.; Anamirta toxifera Miers; Cissampelos cocculus Steud.; Cocculae officinarum Bauh.; Cocculus lacunosus DC.; Cocculus populifolius DC.; Menispermum cocculiferum Stokes; Menispermum cocculus L.; Menispermum heteroclitum Roxb.; Menispermum lacunosum Lam.; Menispermum monadelphum Roxb. et Wight; Menispermum populifolium Spreng.; Tinospora lacunosus Miers.

Nome Popular: Coculus e Coco do Levante, em português; Fischkornerbaum e Kokkelskörner, na Alemanha; Cascara de Levante e Coca de Levante, em espanhol; Coque du Levant, Coque-levant e Pareire a Feuilles Rondes, na França; Indiaansche Bezies e Koklus, na Holanda; Indian Berries, Indian Cockle, Levant Nut e Oriental Berries, em inglês; Coccole d’India, na Itália; Cocculus indicus, em latim.

Denominação Homeopática: COCCULUS.

Família Botânica: Menispermaceae.

Parte Utilizada: Fruto.

Princípios Ativos: O principal componente é a Picrotoxina, um sesquiterpeno, constituído de uma mistura de picrotoxinina e a hidrólise promove a picrotina; Alcalóides Isoquinolínicos: menispermina e paramenispermina; Óleo.

Indicações e Ações Farmacológicas: O Coculus é principalmente usado na Homeopatia, sendo indicado para a debilidade geral, fraqueza irritável, sensação de debilidade e de vazio em vários órgãos, como a cabeça, abdome, intestinos, peito e estômago. É muito útil na dismenorréia e na menstruação escassa e irregular. Grande vertigem é a sua principal característica. Náuseas e vômitos acompanham os casos que convém o Coculus. Grande estafa na época menstrual. Quer dormir, mas, quando vai adormecendo, desperta com uma sensação de terror, dentre outras aplicações.

Toxicidade/Contra-indicações: Este droga é muito venenosa. A intoxicação causa dor de cabeça, vertigem, náusea, distúrbios de coordenação, depressão geral e espasmos.
Elevadas doses levam a vômito freqüente, sonolência e espasmos tônico-clônico. Morte seguida de asfixia e ataque cardíaco. O tratamento consiste em induzir o vômito e/ou lavagem gástrica, utilização de sulfato de sódio, instilação de carvão ativado e forçar diurese. Os espasmos podem ser suprimidos com diazepam se necessário. Em caso de febre, envolve-lo com bolsa de gelo, administração de infusões hiper-calórica e possivelmente respiração por oxigênio. Fenotiazinas e analépticos podem ser usados.

Dosagem e Modo de Usar:
• Homeopatia: 3.ª à 30.ª, 60.ª, 100.ª e 200.ª.

Referências Bibliográficas:
• SOARES, A. D. Dicionário de Medicamentos Homeopáticos. 1ª edição. Santos
Livraria Editora. 2000.

• CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21ª edição. Livraria Teixeira. 1983.

• PDR for Herbal Medicines. 1st editon. Medical Economics. 1998.

Nenhum comentário: