Pesquisa personalizada

Olá Amigos e Amigas, Bem vindo!!!

A idéia deste Blog é com o intuito de fornecer informações sobre Ervas e Insumos em geral.

Através de um estudo arduo e minuncioso, conseguimos trazer para vocês informações sobre cada Erva para auxilio de estudo e orientação quanto ao uso.

Vale salientar que todas as Ervas publicadas neste Blog são de fontes verdadeiras. Essas são encontradas sempre ao final de cada texto.

Espero que este Blog seja útil para todos vocês e se possível divulguem para que possamos trocar idéias a respeito dessas maravilhas que a Natureza nos oferece de graça.

Voltem sempre, pois estaremos semanalmente atualizando este Blog com outras Ervas.

Para encontrar a sua erva preferida, clique nas datas ao lado e boa leitura!!!

Abraços,

terça-feira, 17 de março de 2009

Damiana

A Damiana é um arbusto pubescente e muito ramoso, chegando a medir até 2 metros de altura, com ramos muito delicados e difusos. As suas folhas são pecioladas, mais ou menos ovado-rômbeas, espatuladas ou oblongoceoladas, obtusas ou agudas, quase sempre cuneadas na base, de 1 a 2 centímetros de comprimento, crenado-serradas ou duplo-denteadas, revolutas nas margens, profundamente imerso-nervadas e pubescentes ou glabras na página superior e tomentoso-pubescentes ou apenas pilosas, na página inferior. Os pedúnculos são muito curtos. As pétalas são espatuladas e os estames curtíssimos. O fruto é uma cápsula subglobosa de 4-5mm. É aromática e de sabor agradável e possui um óleo essencial amargo e adstringente, com o sabor de cânfora, por onde se atribuem numerosas propriedades medicinais.
Esta planta é encontrada principalmente na região do Golfo do México, Caribe e região sul do continente africano. É bem adaptada no Brasil, sendo encontrada do Amazonas até São Paulo.

Nome Científico: Turnera diffusa Willd. Sinonímia: Bohadschia humifera C.Presl.; Bohadschia microphylla Griseb.; Triacis microphylla Griseb.; Turnera aphrodisiaca Ward., Turnera humifusa Endl. Ex Walp.; Turnera microphylla Desv.; Turnera pumilea Poir.

Nome Popular: Damiana, no Brasil; Hierba de la Pastora, Herba del Venado e Pastorcita, no México; Oreganillo, na República Dominicana; Damiana, na Espanha; Damiana, em inglês; Damiane, na França.

Observação: No Brasil, dá-se o nome de Damiana a duas espécies da família das Turneráceas: Turnera diffusa Willd. e Turnera opifera M. (arbusto menor e de morfologia e constituição semelhante à espécie anterior).

Denominação Homeopática: DAMIANA.

Família Botânica: Turneraceae.

Parte Utilizada: Folha.

Princípios Ativos: Flavonóides: hiperosídeo, avicularina, galactosil-3-miricetol, glucoronil-3-quercetol e quercetosídeo; Óleo Essencial:  e -pineno, p-cimeno, timol, 1,8-cineol, sesquiterpenos (-copaeno, -cadineno e calameneno); Taninos; Princípio Amargo: damianina; Resina; Glicosídeos Cianogênicos: barteína; Ácido Ascórbico; Alcalóides; Gonzalitozina I; Arbutina.

Indicações e Ações Farmacológicas: Drogas feitas de Damiana são indicadas na astenia psico-física; em depressões; na cistite; na uretrite; na asma; na bronquite e na impotência sexual.
Confere à droga como um todo as seguintes ações: tônico do sistema nervoso central; diurético; anti-séptico urinário; expectorante; laxante (dependendo da dose). É muito utilizado popularmente como afrodisíaco.
Em Homeopatia é aplicada na impotência, na neurastenia de fundo sexual e na frieza íntima feminina, além de ser um regulador nas meninas recém-menstruadas.
A ação conjunta do óleo essencial e a gonzalitozina conferem às folhas atividade diurética, enquanto que a arbutina (princípio ativo também encontrado na Uva Ursi) atividade anti-séptica urinária.
Por outro lado, o óleo essencial tem demonstrado possuir quantidades expectorantes e em sinergismo com a daminanina e o glicosídeo cianogenético, atividade psicoestimulante e eutímica.
Toxicidade/Contra-indicações:
Recomenda-se um tratamento de forma descontínua. Em doses elevadas possui ação laxante.
É contra-indicada na gravidez, na lactação (devido a presença de alcalóides); na ansiedade, na insônia, na taquicardia, síndrome do cólon irritado (pelo seu efeito sobre o sistema nervoso central). É recomendado não fazer associações com outras drogas estimulantes como o café, o guaraná e o ginseng.

Dosagem e Modo de Usar:
• Extrato Fluido (1:1): 30-50 gotas, uma a três vezes ao dia;
• Tintura (1:10): 50-100 gotas, uma ou duas vezes ao dia;
• Extrato Seco (5:1): 100-300 mg/cápsula, uma ou duas vezes ao dia.
• Homeopatia: Tintura-mãe.

Referências Bibliográficas:
• PR VADEMECUM DE PRECRIPCIÓN DE PLANTAS MEDICINALES. 3ª
edição. 1998.

• COIMBRA, R. Manual de Fitoterapia. 2ª edição. 1994.

• SOARES, A. D. Dicionário de Medicamentos Homeopáticos. 1ª edição. Santos
Livraria Editora. 2000.

2 comentários:

inalda disse...

Maravilhoso este Blogger.Eu gostaria de registrar sobre a Casca de Cumaru.Há 25 anos atrás,eu estava sofrendo com cinusite, não havia remédio...que eu n. tivesse tomado e nada...Viajei para o Nordeste, chegando lá, uma senhora logo falou sobre minha doença e me arranjou a Casca de Cumaru.usei como inalaçao por um tempo, e foi ótimo.Saiu do meu nariz coisa feia. Agora voltei a sentir, tem 10 dias que estou com muitas dores na cabeça e nada sara... O médico indica antibióticos e antiflamatórios...Gostaria de muito de adquirir esta casca...Obrigada, Inalda

inalda disse...

Maravilhoso este Blogger.Eu gostaria de registrar sobre a Casca de Cumaru.Há 25 anos atrás,eu estava sofrendo com cinusite, não havia remédio...que eu n. tivesse tomado e nada...Viajei para o Nordeste, chegando lá, uma senhora logo falou sobre minha doença e me arranjou a Casca de Cumaru.usei como inalaçao por um tempo, e foi ótimo.Saiu do meu nariz coisa feia. Agora voltei a sentir, tem 10 dias que estou com muitas dores na cabeça e nada sara... O médico indica antibióticos e antiflamatórios...Gostaria de muito de adquirir esta casca...Obrigada, Inalda. meu e-mail: inaldaarruda@ig.com.br