Pesquisa personalizada

Olá Amigos e Amigas, Bem vindo!!!

A idéia deste Blog é com o intuito de fornecer informações sobre Ervas e Insumos em geral.

Através de um estudo arduo e minuncioso, conseguimos trazer para vocês informações sobre cada Erva para auxilio de estudo e orientação quanto ao uso.

Vale salientar que todas as Ervas publicadas neste Blog são de fontes verdadeiras. Essas são encontradas sempre ao final de cada texto.

Espero que este Blog seja útil para todos vocês e se possível divulguem para que possamos trocar idéias a respeito dessas maravilhas que a Natureza nos oferece de graça.

Voltem sempre, pois estaremos semanalmente atualizando este Blog com outras Ervas.

Para encontrar a sua erva preferida, clique nas datas ao lado e boa leitura!!!

Abraços,

terça-feira, 17 de março de 2009

Douradinha

Trata-se de um subarbusto, de 25 a 50 cm de altura, com caules solitários ou raramente reunidos feixes, ascendentes, pouco ramificados, arredondados e glabros na base, achatados e pubescentes na parte superior e de ramos superiores aos caules. As folhas são alternas, ovais ou ovais-orbiculares, obtusas ou raramente um pouco agudas, cordiformes na base e desigualmente serreadas. As inflorescências são terminais e algumas ao mesmo tempo axilares, mais freqüentemente solitárias ou raramente agrupadas em número de duas a quatro, mais ou menos próximas. As pétalas são em número de cinco, oblongo-ovadas. É quase inodora e apresenta sabor mucilaginoso.

Nome Científico: Waltheria douradinha St. Hil.

Nome Popular: Douradinha, em português.

Família Botânica: Malvaceae.

Parte Utilizada: Caule, folha e flor.

Princípios Ativos: São poucos conhecidos.

Indicações e Ações Farmacológicas: As folhas e flores são empregadas internamente em infusão como emoliente, contra a tosse.

Toxicidade/Contra-indicações: Não há referências nas literaturas consultadas.

Dosagem e Modo de Usar:
• Infusão: 4 gramas para 250 gramas de água fervendo.

Referências Bibliográficas:
• ALBINO, R. Pharmacopeia dos Estados Unidos do Brasil. 1ª edição. 1926.

• CHERNOVIZ, P. L. N. A Grande Farmacopéia Brasileira. Editora Itatiaia. 1º
volume. 1996.

Nenhum comentário: