Pesquisa personalizada

Olá Amigos e Amigas, Bem vindo!!!

A idéia deste Blog é com o intuito de fornecer informações sobre Ervas e Insumos em geral.

Através de um estudo arduo e minuncioso, conseguimos trazer para vocês informações sobre cada Erva para auxilio de estudo e orientação quanto ao uso.

Vale salientar que todas as Ervas publicadas neste Blog são de fontes verdadeiras. Essas são encontradas sempre ao final de cada texto.

Espero que este Blog seja útil para todos vocês e se possível divulguem para que possamos trocar idéias a respeito dessas maravilhas que a Natureza nos oferece de graça.

Voltem sempre, pois estaremos semanalmente atualizando este Blog com outras Ervas.

Para encontrar a sua erva preferida, clique nas datas ao lado e boa leitura!!!

Abraços,

segunda-feira, 30 de março de 2009

Mutamba

Trata-se de uma árvore regular, com ramos na extremidade estreitado-tomentosos. As folhas apresentam limbo oblongado, mais ou menos aguçado no ápice, base oblíquo-cordada , margem dentadas, ambas as faces com revestimento de pêlos estrelados especialmente nas nervuras centrais. As inflorescências são racemosas ou paniculadas, axilares e tão longas quanto os pecíolos, com flores alvas e pequenas.

Nome Científico: Guazuma ulmifolia Lam. Sinonímia: Theobroma guazuma L.

Nome Popular:Mutamba, Embira, Embireira, Embirú, Mutamba Verdadeira, Pau-de-Mutamba, Camaca, Periquiteira, Pojó, Mutambo, Pau-de-bicho, Guaxima-macho, Guaxima-torcida, Araticum-bravo, em português; Guácimo, na Venezuela, Honduras e El Salvador; Guacima Cimarrona, na República Dominicana; Guácimo de Caballo, em Cuba; Guacimilla, Majaqua de Toro e Tablote, no México; Coco, na Bolívia; Guazuma, na Argenitna; Canlote, na Colômbia; Cédre de la Jamaique, Bois d’orme e Orme d’amarique, na França.

Família Botânica: Sterculiaceae.

Parte Utilizada: Casca.

Princípios Ativos: Alcalóides; Beta-sitosterol; Cafeína; Mucilagem; Taninos; Proantocianidinas.

Indicações e Ações Farmacológicas: A casca da Mutamba apresenta ação adstringente, depurativa, cicatrizante, anti-séptica, diaforética, anti-sifilítco, anti-caspa e anti-queda de cabelos.
É geralmente indicada como cicatrizante de feridas e úlceras, dermatoses, tratamento da sífilis, nas afecções do trato respiratório: bronquite, asma, tosse, pneumonia, além de queda de cabelos, caspa e seborréia.
Um trabalho realizado na Alemanha avaliou a inibição da secreção intestinal de cloreto pelas proantocianidinas da Guazuma ulmifolia Lam. a qual foi examinada no cólon distal de coelho. A secreção de cloreto foi estimulada com toxina colérica e prostaglandina E2. O extrato de Mutamba inibiu completamente a indução feita pela toxina colérica se o extrato foi adicionado na mucosa antes da toxina. Adicionando o extrato depois da administração da toxina não apresentou nenhum efeito de secreção. O extrato de Mutamba não inibiu a secreção de cloreto induzida por prostaglandina E2. Estes resultados indicam um mecanismo indireto de inibição da secreção intestinal. Exames preliminares indicaram que a fração mais ativa contém procianidinas com grau de polimerização maior que oito (Hor M., Rimpler, H, Heinrich, M., 1995).
Um estudo avaliou que das 28 plantas utilizadas para o tratamento de diabetes mellitus estudadas apenas oito diminuem significativamente o pico de hiperglicemia, a área sobre a curva de tolerância a glicose. Dentre as espécies está a Guazuma ulmifolia Lam. Este resultado sugere a validez do uso para o controle de diabetes mellitus (Alarcon-Aguilara et al., 1998).
Um estudo realizado na Guatemala avaliou 84 plantas utilizadas neste país para o tratamento de desordens gastrointestinais. Destas 84 destacou-se 34 plantas que inibem uma ou mais enterobactérias utilizadas neste estudo (Escherichia coli, Salmonela tiphy, Shigella dysenteriae, dentre outras), onde está incluída a Guazuma ulmifolia Lam. (Cáceres, A.; Cano, O.; Samayaoa, B.; Aguilar, L., 1990).

Toxicidade/Contra-indicações: Ingerida em elevadas doses, a Mutamba pode desencadear náuseas, vômitos e disenterias e portanto deve ser tomada alguma precaução ao se fazer uso de formulações desta espécie.

Dosagem e Modo de Usar:
• Uso Interno:
- Pó: até 12 gramas ao dia;
- Extrato Fluido: 1 a 4 ml ao dia;

Referências Bibliográficas:
• TESKE, M.; TRENTINI, A. M. Herbarium Compêndio de Fitoterapia.
Herbarium. Curitiba. 1994.

• VIEIRA, L.S. Fitoterapia da Amazônia. Editora Agronômica Ceres. São Paulo.
1992.

• CORRÊA, M. P. Dicionário das Plantas Úteis do Brasil. IBDF. 1984.

• ALARCÓN-AGULIARA ET AL Study of the anti-hyperglycemic effect of plants
used as antidiabetics, Ethnopharmacology, Jun. 1998.

• HOR, M.; RIMPLER, H.; HEINRICH, M. Inhibition of intestinal chloride
secretion by proanthocyanidins from Guazuma ulmifolia, Planta Medica, Jun.,
1995.

• CACERES, A.; CANO, O.; SAMAYOA, B.; AGUILAR, L. Plants used in
Guatemala for the tratament of gastrointestinal disorder. 1. Screening of 84
plants against enterobacteria, J. Ethnopharmacology, Aug., 1990.

2 comentários:

vendas vendas disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
vendas vendas disse...

Vende-se Mutamba 51
vendas vendas (Conta do Google) – Sair
Os comentários de acompanhamento serão enviados para vendas495@gmail.com. Cancelar inscrição 8107-5997 whats somente