Pesquisa personalizada

Olá Amigos e Amigas, Bem vindo!!!

A idéia deste Blog é com o intuito de fornecer informações sobre Ervas e Insumos em geral.

Através de um estudo arduo e minuncioso, conseguimos trazer para vocês informações sobre cada Erva para auxilio de estudo e orientação quanto ao uso.

Vale salientar que todas as Ervas publicadas neste Blog são de fontes verdadeiras. Essas são encontradas sempre ao final de cada texto.

Espero que este Blog seja útil para todos vocês e se possível divulguem para que possamos trocar idéias a respeito dessas maravilhas que a Natureza nos oferece de graça.

Voltem sempre, pois estaremos semanalmente atualizando este Blog com outras Ervas.

Para encontrar a sua erva preferida, clique nas datas ao lado e boa leitura!!!

Abraços,

terça-feira, 10 de março de 2009

Carvalho

Esta árvore é utilizada para fins medicinais desde os tempos remotos, sendo considerada sagrada pelos antigos druidas e consagrado a Thor, o deus do trovão, que segundo a crença nenhum Carvalho seria atingido por um raio. Era utilizado na Roma antiga para coroar os cidadãos como reconhecimento aos seus méritos.
É uma árvore grande, de caule reto e cilíndrico, medindo entre 35 e 40 metros de altura. Sua casca é de cor cinzento-acastanhada, escurecendo com a idade e com fendas limitando escamas quadradas. As folhas são alternas, subsésseis, oblongas, pinati-fendidas, ou sinuado-lobadas e com segmentos obtusos, membranosas, glabras na duas páginas. As flores são monóicas, dividindo-se em amentos masculinos finos, frouxos, interruptos, amarelo-esverdeados, com uma flor na axila de cada bráctea e em flores femininas dispostas em espigas, onde cada flor é acompanhada por uma cúpula que se desenvolve durante a floração. O fruto é uma glande de dois a quatro centímetros e comprimento e dois a três centímetros de diâmetro, encerrada numa cúpula escamosa.

Nome Científico: Quercus robur L. Sinonímia: Quercus abietum Kotschy; Quercus aesculus Boiss.; Quercus aestivalis Stev.; Quercus afghanistanensis Hort. ex C. Koch.; Quercus altissima Hort. ex Petz. et Kirchn.; Quercus amplifolia Guss.; Quercus apennina Lam.; Quercus aspera Bosc.; Quercus asperata Pers.; Quercus atropurpurea Hort. ex C. Koch; Quercus atrosanguinea Hort.; Quercus atro-virens Sm.; Quercus aurea Hort. ex C.Koch.; Quercus aurea Kit. ex Rchb.; Quercus australis Kern.; Quercus auzin Secondat ex Bosc.; Quercus axillaris Schur; Quercus brachycarpa Guss. ex Parl.; Quercus brachyphylla Kotschy; Quercus brevifolia kotschy ex A.DC.; Quercus brevipes A. Kern.; Quercus brutia Tem.; Quercus cedrorum Kotschy; Quercus cerrioides Willk. et Costa; Quercus cerris Pall.; Quercus collina Schleich. ex Endl.; Quercus comptoniaefolia Hort. ex C.Koch; Quercus concordia Hort. ex C.Koch; Quercus condensata Schur; Quercus congesta J.Presl.; Quercus conglomerata Pers.; Quercus coriacea Bechst.; Quercus coronensis Schur.; Quercus crispa Vuk.; Quercus crispata Stev.; Quercus cuspaniana Guss.; Quercus cuprea Hort. ex. C.Koch.; Quercus cupressoides Hort.; Quercus cupulatus Gilib.; Quercus cylindraceae Guss. ex Parl.; Quercus dalechampii Ten.; Quercus decipiens Bechst.; Quercus dilatata J. Kern.; Quercus dissecta Hort. ex C.Koch.; Quercus dshorochensis C.Koch; Quercus erucaefolia Stev.; Quercus esculus L.; Quercus extensa Schur.; Quercus faginea Ten.; Quercus falkenbergensis Booth ex. Loud.; Quercus fastigiata Lam.; Quercus fennessi Hort. ex. A.DC.; Quercus filicifolia Hort. ex A.DC.; Quercus filipendula Vuk.; Quercus foemina Mill.; Quercus fructipendula Schrank; Quercus geltowiensis Hort. ex C.Koch; Quercus germanica Lasch; Quercus haas Kotschy; Quercus hartwissiana Stev.; Quercus hentzei Petz.; Quercus hispanica Willk.; Quercus hodginsii Lodd.; Quercus humilis Mill.; Quercus hybrida Bechst.; Quercus hyemalis Stev.; Quercus hypochrysa Stev.; Quercus iberica M. Bieb.; Quercus ibicis Kotschy ex A.DC.; Quercus intermedia Boenn. ex Rchb.; Quercus laciniosa Bor.; Quercus lamprophyllus C.Koch; Quercus lanuginosa Thuill.; Quercus lasistan Kotschy ex A.DC.; Quercus longaeva Salisb.; Quercus longifolia C.Koch; Quercus longipes Stev.; Quercus longipetiolata Schur; Quercus macrostipulata Guss. ex Parl.; Quercus malacophylla Schur; Quercus mannifera Lindl.; Quercus mespilifolia Wallr.; Quercus microbalanos Bor.; Quercus microcarpa Lapeyr.; Quercus nigricans Hort. ex C.Koch; Quercus paleacea Desv.; Quercus pallida Heuff.; Quercus parmenteria Hort. ex Mutel; Quercus pectinata Hort. ex C.Koch; Quercus pedemontana Colla; Quercus pedunculata Ehrh.; Quercus pedunculiflora C.Koch; Quercus pendula Lodd.; Quercus pendulina Kit.; Quercus petiolata Schur; Quercus pinnatifida C.C.Gmel.; Quercus pinnatifida Vuk.; Quercus pinnatiloba C.Koch; Quercus polycarpa Schur; Quercus pseudo-aegilopis Petz.; Quercus pseudo-dchorochensis Boiss.; Quercus pseudo-peduncula Vuk.; Quercus sessilis Schur; Quercus pseudo-tscharakensis Kotschy ex A.DC.; Quercus pubescens Willd.; Quercus pulverulenta Hort. ex C.Koch; Quercus purpurea Lodd. ex Loud.; Quercus pyramidalis C.C.Gmel.; Quercus pyrenaica Stev.; Quercus racemosa Lam.; Quercus regalis Burret ex Endl.; Quercus rosacea Bechst.; Quercus rubens Petz. et Kirchn.; Quercus rumelica Griseb. et Schenck; Quercus salicifolia Hort. ex Steud.; Quercus scolopendrifolia Hort. ex C.Koch; Quercus sessilis Ehrh.; Quercus sphaerocarpa Vuk.; Quercus streimeri Heuff. ex Freyn; Quercus subalpina Kotschy ex A.DC.; Quercus sublobata Kit.; Quercus subvelutina Schur; Quercus syspirensis C.Koch; Quercus tardiflora Czern. ex Stev.; Quercus tennesi Hort. ex Wesm.; Quercus thomasii Ten.; Quercus tomentosa Ehrh. ex A.DC.; Quercus tommasini Kotschy ex Vis.; Quercus toza Griseb.; Quercus tricolor Hort. ex Petz. et Kirchn.; Quercus turbinata Kit.; Quercus undulata Kit.; Quercus viminalis Bosc.; Quercus virgata Martr.; Quercus virgiliana Ten.; Quercus vulcanica Boiss. ex Kotschy; Quercus welandii Simonk.

Nome Popular: Carvalho, Carvalho-comum, Carvalho-preto, Roble, Carvalho-alvarinho, Carvalho da Europa e Carvalheira, em português; Eiche, na Alemanha; Roble, Roble Albar, Roble Pedunculado e Carballo, em espanhol; Chêne Rouvre, na França; Eike e Eikeboom, na Holanda; Oak, em inglês; Quercia, na Itália; Dab, na Polônia; Ek, na Suécia.

Denominação Homeopática: QUERCUS.

Família Botânica: Fagaceae.

Parte Utilizada: Casca e lenho.

Princípios Ativos: Taninos: presentes na casca numa porcentagem de 10-20%, sob a forma de ácido quercitânico na maior parte; Ácido Gálico (2-4%); Ácido Elágico; Quercitrina (princípio amargo presente na casca e nas folhas); Quercetol; Catecóis; Protoantocianidinas.
Indicações e Ações Farmacológicas: O Carvalho é indicado na gastroenterocolite; nas hemorragias: capilares, gástricas, nasais, uterinas, metrorragias e dismenorréias; nas afecções urinárias: uretrites, urolitíases e na incontinência urinária. Externamente é aplicada nas queimaduras, nos eczemas, nas estomatites, nas parodontopatias, nas faringites, nas amidalites, nas vulvovaginites, nas feridas, nas ulcerações dérmicas, nas fissuras anais, nas hemorróidas, nas blefarites e nas conjuntivites.
Os extratos da casca têm evidenciado uma atividade diurética, antibacteriana e favorecedora da eliminação dos cálculos urinários (Mandana A. e Gausa P., 1980). O alto teor de taninos confere propriedades adstringentes úteis nas feridas hemorrágicas e diarréias (Ríos Cañavate J., 1995).
Toxicidade/Contra-indicações: A alta proporção de taninos podem ocasionar uma irritação gástrica, estados de náuseas e vômito. Recomenda-se não ingerir por mais de quatro semana. É contra-indicado o uso durante tratamentos com pectina, alcalóides ou sais de ferro.
Dosagem e Modo de Usar:
• Uso Interno:
- Pó: 3 gramas ao dia, em cápsulas de 500 mg;
- Extrato Fluido (1:1): 20-50 gotas, duas outrês vezes ao dia;
• Uso Externo:
- Decocção: 60-80 g/l, ferver por dez minutos. Aplicar sob a forma de compressas, colutórios, gargarejos ou irrigações vaginais.
Referências Bibliográficas:
• ALONSO, J. R. Tratado de Fitomedicina. 1ª edição. Isis Ediciones. Buenos
Aires. 1998 ( o qual cita as referências mostradas nos itens Indicações e Ações
Farmacológicas/ Toxicidade e Contra-indicações).

• PR VADEMECUM DE PRECRIPCIÓN DE PLANTAS MEDICINALES. 3ª
edição. 1998.

• CORRÊA, M. P. Dicionário das Plantas Úteis do Brasil. IBDF. 1984.

• SOARES, A. D. Dicionário de Medicamentos Homeopáticos. 1ª edição. Santos
Livraria Editora. 2000.

• Segredos e Virtudes das Plantas Medicinais. Reader’s Digest do Brasil. 1ª edição.
1999.

Nenhum comentário: