Pesquisa personalizada

Olá Amigos e Amigas, Bem vindo!!!

Blog desenvolvido para ajudar as pessoas a encontrarem a melhor erva para o seu problema de saúde.

As informações deste blog não pretendem substituir o médico e sim dar um alívio mais imediato ao paciente, evitar consultas por males insignificantes, diminuindo os gastos sociais e deixar os serviços médicos para os casos mais importantes. Serve também para orientar pacientes em locais carentes

Aproveite esta oportunidade e compartilhe com seus amigos.

terça-feira, 17 de março de 2009

Escamonea


A Escamonea é uma herbácea de caules anuais volúveis, vivaz pelas suas raízes principais tuberizadas, grandes e desenvolvidas. Desta espécie pode-se extrair três fármacos: a raiz da Escamonea, a gomo-resina chamada simplesmente de Escamonea e o extrato alcoólico da raiz conhecido pelo nome de resina de Escamonea. A Pharmacopeia dos Estados Unidos 1ª edição (1926) cita a “Tintura de Escammonia”, o “Pó de Escammonia”, a “Resina de Escammonia” e, além disso, é componente da “Tintura de Jalapa Composta”. Nesta mesma edição do código farmacêutico brasileiro a raiz da Escamonea é caracterizada pelo nome de Escammonia: A raiz da Escamonea apresenta-se geralmente em fragmentos cilíndricos, de 10 a 25 cm de comprimento e 1 a 4,5 cm de largura, freqüentemente privados de suas radículas e nitidamente torcidos sobre si mesmos.
Sua superfície externa é profundamente enrugada e de cor cinzento-pardacenta clara; sua fratura é fibrosa, irregular. Com a lupa, sobre sua secção transversal bem polida com um vidro, vê-se uma casca não muito espessa, estriada radialmente, dotada de numerosos pontos brilhantes e resinosos e nitidamente separada pelo câmbio e cilindro lenhoso, caracterizado por uma multidão de pequenos feixes irregulares, escuros, envolvidos por uma aureola mais pálida com pontos resinosos brilhantes e separados entre si por faixas de um tecido mais escuro, de espessura variável.
Esta raiz possui cheiro semelhante ao da jalapa e sabor fracamente amargo.

Nome Científico: Convolvulus scammonia L. Sinonímia: Convolvulus elongatus Salisb.; Convolvulus pseudo-scammonia C.Koch; Convolvulus syriacus Tourn.; Scammonia syriaca Bauh.

Nome Popular: Escamonea, Escamônia, Escammonia e Escammonéa, em português; Scammonienwinde, na Alemanha; Skammoneum, na Dinamarca; Escamonea e Escamonea Asiática, em espanhol; Scammonée, na França; Scammoneum e Syrische Winde, na Holanda; Scammony, em inglês; Scamonea, na Itália; Skammoneum, na Suécia.

Denominação Homeopática: SCAMMONIUM.

Família Botânica: Convolvulaceae.

Parte Utilizada: Raiz.

Princípios Ativos: Resina: formada em particular por escamonina, análoga à jalapina. Por hidrólise resulta em glicose, ramnose, rodeose e o ácido 12-hidroxipalmítico.

Indicações e Ações Farmacológicas: A Escamonea na Fitoterapia é indicada como purgativo drástico.
Em Homeopatia é um drástico catártico. Vômitos e diarréia. Fezes abundantes. Abdome distendido e doloroso.

Toxicidade/Contra-indicações: Não há referências nas literaturas consultadas.

Dosagem e Modo de Usar:
• Tintura de Escammonia e Tintura de Jalapa Composta como incluída na Pharmacopeia dos Estados Unidos do Brasil 1ª edição;
• Costa (ver referências bibliográficas) recomenda doses de 0,1 a 1,0 grama, para a Escamonea e a gomo-resina;
• Homeopatia: 3.ªx.

Referências Bibliográficas:
• ALBINO, R. Pharmacopeia dos Estados Unidos do Brasil. 1ª edição. 1926.

• COSTA, A. F. Farmacognosia. Lisboa. Fundação Gulbenkian Calouste
1994.

• SOARES, A. D. Dicionário de Medicamentos Homeopáticos. 1ª edição. Santos
Livraria Editora. 2000.

• CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21ª edição. Livraria Teixeira. 1983.

• COIMBRA, R. Manual de Fitoterapia. 2ª edição. Cejup. 1994

Nenhum comentário:

Publicidade