Pesquisa personalizada

Olá Amigos e Amigas, Bem vindo!!!

Pesquise e estude sobre centenas de ervas disponibilizadas neste blog, com riqueza em informações, pois você irá se surpreender com os detalhes.

Para encontrar a sua erva desejada, veja nas datas ao lado e boa leitura!!!

Gostou? Ajude o blog a se manter no ar!!!

segunda-feira, 30 de março de 2009

Mutamba



Trata-se de uma árvore regular, com ramos na extremidade estreitado-tomentosos. As folhas apresentam limbo oblongado, mais ou menos aguçado no ápice, base oblíquo-cordada , margem dentadas, ambas as faces com revestimento de pêlos estrelados especialmente nas nervuras centrais. As inflorescências são racemosas ou paniculadas, axilares e tão longas quanto os pecíolos, com flores alvas e pequenas.

Nome Científico: Guazuma ulmifolia Lam. Sinonímia: Theobroma guazuma L.

Nome Popular:Mutamba, Embira, Embireira, Embirú, Mutamba Verdadeira, Pau-de-Mutamba, Camaca, Periquiteira, Pojó, Mutambo, Pau-de-bicho, Guaxima-macho, Guaxima-torcida, Araticum-bravo, em português; Guácimo, na Venezuela, Honduras e El Salvador; Guacima Cimarrona, na República Dominicana; Guácimo de Caballo, em Cuba; Guacimilla, Majaqua de Toro e Tablote, no México; Coco, na Bolívia; Guazuma, na Argenitna; Canlote, na Colômbia; Cédre de la Jamaique, Bois d’orme e Orme d’amarique, na França.

Família Botânica: Sterculiaceae.

Parte Utilizada: Casca.

Princípios Ativos: Alcalóides; Beta-sitosterol; Cafeína; Mucilagem; Taninos; Proantocianidinas.

Indicações e Ações Farmacológicas: A casca da Mutamba apresenta ação adstringente, depurativa, cicatrizante, anti-séptica, diaforética, anti-sifilítco, anti-caspa e anti-queda de cabelos.
É geralmente indicada como cicatrizante de feridas e úlceras, dermatoses, tratamento da sífilis, nas afecções do trato respiratório: bronquite, asma, tosse, pneumonia, além de queda de cabelos, caspa e seborréia.
Um trabalho realizado na Alemanha avaliou a inibição da secreção intestinal de cloreto pelas proantocianidinas da Guazuma ulmifolia Lam. a qual foi examinada no cólon distal de coelho. A secreção de cloreto foi estimulada com toxina colérica e prostaglandina E2. O extrato de Mutamba inibiu completamente a indução feita pela toxina colérica se o extrato foi adicionado na mucosa antes da toxina. Adicionando o extrato depois da administração da toxina não apresentou nenhum efeito de secreção. O extrato de Mutamba não inibiu a secreção de cloreto induzida por prostaglandina E2. Estes resultados indicam um mecanismo indireto de inibição da secreção intestinal. Exames preliminares indicaram que a fração mais ativa contém procianidinas com grau de polimerização maior que oito (Hor M., Rimpler, H, Heinrich, M., 1995).
Um estudo avaliou que das 28 plantas utilizadas para o tratamento de diabetes mellitus estudadas apenas oito diminuem significativamente o pico de hiperglicemia, a área sobre a curva de tolerância a glicose. Dentre as espécies está a Guazuma ulmifolia Lam. Este resultado sugere a validez do uso para o controle de diabetes mellitus (Alarcon-Aguilara et al., 1998).
Um estudo realizado na Guatemala avaliou 84 plantas utilizadas neste país para o tratamento de desordens gastrointestinais. Destas 84 destacou-se 34 plantas que inibem uma ou mais enterobactérias utilizadas neste estudo (Escherichia coli, Salmonela tiphy, Shigella dysenteriae, dentre outras), onde está incluída a Guazuma ulmifolia Lam. (Cáceres, A.; Cano, O.; Samayaoa, B.; Aguilar, L., 1990).

Toxicidade/Contra-indicações: Ingerida em elevadas doses, a Mutamba pode desencadear náuseas, vômitos e disenterias e portanto deve ser tomada alguma precaução ao se fazer uso de formulações desta espécie.

Dosagem e Modo de Usar:
• Uso Interno:
- Pó: até 12 gramas ao dia;
- Extrato Fluido: 1 a 4 ml ao dia;

Referências Bibliográficas:
• TESKE, M.; TRENTINI, A. M. Herbarium Compêndio de Fitoterapia.
Herbarium. Curitiba. 1994.

• VIEIRA, L.S. Fitoterapia da Amazônia. Editora Agronômica Ceres. São Paulo.
1992.

• CORRÊA, M. P. Dicionário das Plantas Úteis do Brasil. IBDF. 1984.

• ALARCÓN-AGULIARA ET AL Study of the anti-hyperglycemic effect of plants
used as antidiabetics, Ethnopharmacology, Jun. 1998.

• HOR, M.; RIMPLER, H.; HEINRICH, M. Inhibition of intestinal chloride
secretion by proanthocyanidins from Guazuma ulmifolia, Planta Medica, Jun.,
1995.

• CACERES, A.; CANO, O.; SAMAYOA, B.; AGUILAR, L. Plants used in
Guatemala for the tratament of gastrointestinal disorder. 1. Screening of 84
plants against enterobacteria, J. Ethnopharmacology, Aug., 1990.
Postar um comentário