Pesquisa personalizada

Olá Amigos e Amigas, Bem vindo!!!

Pesquise e estude sobre centenas de ervas disponibilizadas neste blog, com riqueza em informações, pois você irá se surpreender com os detalhes.

Para encontrar a sua erva desejada, veja nas datas ao lado e boa leitura!!!

Gostou? Ajude o blog a se manter no ar!!!

terça-feira, 17 de março de 2009

Erva Baleera


Esta é um arbusto muito ramificado, apresentando folhas com margens dentadas, de cor verde-escura, ásperas e aromáticas. Suas flores são pequenas, reunidas em espigas laterais de coloração branca. O fruto é arredondado, pequeno e vermelho-escuro. É conhecida e utilizada pelos índios brasileiros há muitos séculos.

Nome Científico: Cordia verbenacea DC.

Nome Popular: Erva Baleera, Erva Baleeira, Erva Preta, Maria-milagrosa, Salicina e Catinga-de-barão, em português; Cordia, em inglês.

Família Botânica: Boraginaceae.

Parte Utilizada: Caule e folha.

Princípios Ativos: Flavonóides: artemetina; Óleo Essencial; Alantoína; Açúcares.

Indicações e Ações Farmacológicas: São atribuídas à Erva Baleera as propriedades anti-ulcerogênica, antiinflamatória, analgésica, tônica e no tratamento da artrite.
A artemetina (5-hidroxi-3,6,7,3’,4’ – pentoxiflavona) demonstrou marcante atividade antiinflamatória em vários modelos experimentais em ratos. A artemetina inibiu de forma significante edema induzido por carragenina induzido de patas nas doses orais de 30,4 a 153,9 mg/kg. As doses de 102,6 a 153,9 mg/kg mostraram um efeito similar ao proporcionado por 50,0 mg/kg de fenilbutazona cálcica. A administração repetida de artemetina na dose de 67,07 mg/kg em um período de 6 dias reduziu a formação de granuloma, sendo esta resposta comparável a 20,0 mg fenilbutazona cálcica. Esta mesma dose também reduziu a permeabilidade vascular à histamina intracutânea (Sertie, JA: Basile, AC; Panizza, S.; Matida, AK; Zelnik, R.).
O efeito antiinflamatório e gastrotoxicidade de um extrato liofilizado com 70% de etanol das folhas da Cordia verbenacea foram investigados em modelos experimentais em ratos e camundongos. A administração oral de 1,24 mg/kg do extrato inibiu se forma significante edema induzido por nistatina. A aplicação tópica do extrato na dose de 0,09 mg/orelha de camundongo foram claramente mais eficiente que 1,0 mg/orelha de naproxeno na redução do edema e orelha induzido por óleo de corton. Em doses de antiinflamatório, o extrato demonstrou um efeito importante sobre a mucosa gástrica e reduzindo o número de lesões gástricas (Sertie, JA; Basile, AC; Panizza, S.; Oshiro, TT; Azzolini, CP; Penna, SC).

Toxicidade/Contra-indicações: Experimentos de toxicologia sub-aguda indicaram toxicidade muito baixa (Sertie, JA: Basile, AC; Panizza, S.; Matida, AK; Zelnik, R.).


Dosagem e Modo de Usar: Não há referências nas literaturas consultadas.

Referências Bibliográficas:

• PANIZZA, S. Plantas que Curam (Cheiro de Mato). 7ª edição. 1997.

• Sertie, JA; Basile, AC; Panizza, S.; Oshiro, TT; Azzolini, CP; Penna, SC.
Pharmacological assay of Cordia verbenacea III: Oral and topical anti-
inflammatory activity and gastrotoxicity of a crude leaf extract. Departament of
Pharmacology, Universidade de São Paulo, Brazil.

• Sertie, JA: Basile, AC; Panizza, S.; Matida, AK; Zelnik, R. Anti-inflammatory
activity and sub-acute toxicity of artemetin. Departament of Pharmacology,
Universidade de São Paulo, Brazil.
Postar um comentário