Pesquisa personalizada

Olá Amigos e Amigas, Bem vindo!!!

Pesquise e estude sobre centenas de ervas disponibilizadas neste blog, com riqueza em informações, pois você irá se surpreender com os detalhes.

Para encontrar a sua erva desejada, veja nas datas ao lado e boa leitura!!!

Gostou? Ajude o blog a se manter no ar!!!

segunda-feira, 23 de março de 2009

Gnaphalium


Trata-se de uma planta vivaz que mede de 7 a 20 cm de altura, apresentando as folhas alternas, sésseis, tomentosas e esbranquiçadas pelo menos por baixo. As flores são dióicas, brancas ou róseas, agrupadas em capítulos pouco numerosos, cuja reunião constitui um corimbo terminal compacto e umbeliformes. A corola é tubulosa e são insertas sobre um receptáculo quase plano, cercado de um invólucro de folíolos escariosos e oblongos. As flores masculinas têm cinco estames salientes, de anteras soldadas e um pistilo rudimentar. As flores femininas são constituídas de 5 estames apertados e estéreis, ovário simples, ínfero e uniovulado, com pistilo bífido e saliente. O fruto é um aquênio piloso. Os pequenos capítulos florais conferem a esta espécie o nome popular Pé de Gato.

Nome Científico: Antennaria dioica Gaertn. Sinonímia: Antennaria hyperborea D.Don; Antennaria montana S.F.Gray; Antennaria parvifolia Nutt.; Cyttarium dioicum Peterm.; Gnaphalium alpinum Asso ex DC.; Gnaphalium boreale Turcz. Ex DC.; Gnaphalum dioicum L.; Gnaphalium hyperboreum Winch ex DC.

Nome Popular: Gnaphalium, Pé de Gato e Erva dos Gatos, em português; Pie de Gato, em espanhol; Gnaphale, Herbe Blanche, Oeil-de-chien e Pied de Chat, na França; Cat’s Foot, Mountain Everlasting, Life Everlasting e Cudweed.

Denominação Homeopática: GNAPHALIUM DIOICUM.

Família Botânica: Asteraceae (Compositae).

Parte Utilizada: Capítulo floral.

Princípios Ativos: Esta droga é abundante em Mucilagens; Flavonóides: luteolina, entre outros; Sais de Potássio; Taninos; Princípios Amargos.

Indicações e Ações Farmacológicas: O Gnaphalium é indicado nas afecções respiratórias: faringite e bronquite; afecções intestinais; colecistite; gastrite. Popularmente é usado como diurético.
A abundância em mucilagens promove um efeito demulcente e antitussígeno, formando as chamadas espécies peitorais. Os flavonóides justificam suas virtudes como colagogo enérgico. Os sais de potássio são responsáveis por sua ação ligeiramente diurética.


Toxicidade/Contra-indicações: Não há referências nas literaturas.

Dosagem e Modo de Usar:
• Infusão: 30 g/l, 2-3 xícaras ao dia.

Referências Bibliográficas:
• PR VADEMECUM DE PRECRIPCIÓN DE PLANTAS MEDICINALES. 3ª edição. 1998.

• SOARES, A. D. Dicionário de Medicamentos Homeopáticos. 1ª edição. Santos
Livraria Editora. 2000.

• PDR for Herbal Medicines. 1st editon. Medical Economics. 1998.

• CORRÊA, M. P. Dicionário das Plantas Úteis do Brasil. IBDF. 1984.

• BLUMENTHAL, M.; The Complete German Commission E Monographs –
Therapeutic Guide to Herbal Medicines, American Botanical Council, 1998.
Postar um comentário