Pesquisa personalizada

Olá Amigos e Amigas, Bem vindo!!!

A idéia deste Blog é com o intuito de fornecer informações sobre Ervas e Insumos em geral.

Através de um estudo arduo e minuncioso, conseguimos trazer para vocês informações sobre cada Erva para auxilio de estudo e orientação quanto ao uso.

Vale salientar que todas as Ervas publicadas neste Blog são de fontes verdadeiras. Essas são encontradas sempre ao final de cada texto.

Espero que este Blog seja útil para todos vocês e se possível divulguem para que possamos trocar idéias a respeito dessas maravilhas que a Natureza nos oferece de graça.

Voltem sempre, pois estaremos semanalmente atualizando este Blog com outras Ervas.

Para encontrar a sua erva preferida, clique nas datas ao lado e boa leitura!!!

Abraços,

terça-feira, 17 de março de 2009

Endro

O Endro é uma das espécies participantes do papiro egípcio de Ebers, onde estes preconizava seu emprego como condimento alimentício e como planta medicinal. Os romanos a utilizava para melhorar a digestão.
É uma erva que mede de 20 a 50 centímetros de altura, anual, apresentando caule verde-escuro, delgado, estriado e oco. As folhas são pecioladas, invaginando o caule, as superiores com bainha curta, divididas em lacínias filiformes. As flores são amarelas, dispostas em umbelas com 15 a 30 raios desiguais e cinco pétalas inteiras com a ponta curvada para o lado de dentro. O fruto é um diaquênio com cinco costelas de cada lado, três dorsais salientes e dois marginais mais claras em forma de asas. A raiz é delgada, aprumada e esbranquiçada. Apresenta odor intenso, semelhante ao do Funcho e sabor aromático e picante.
Supõe-se que o Endro é de origem asiática, crescendo atualmente nas zonas tropicais e subtropicais do mundo inteiro, sobre terrenos baldios secos, campos incultos e pedregosos.

Nome Popular: Anethum graveolens L. Sinonímia: Anethum arvense Salisb.; Anethum hortense Bauh.; Anethum soka Roxb ex Flem.; Pastinaca anethum Spreng.; Pastinaca graveolens bernh.; Petroselium soka Kurz; Peucedanum graveolens Benth. et Hook.f.

Nome Popular: Endro, Funcho Bastardo e Aneto, em português; Dille, na Alemanha; Eneldo e Hinojo Silvestre, em espanhol; Aneth e Aneth Odorant, na França; Dille, na Holanda; Dill e Dilly, em inglês; Aneto, na Itália.

Denominação Homeopática: ANETHUM GRAVEOLENS.

Família Botânica: Umbelliferae.

Parte Utilizada: Frutos.

Princípios Ativos: Óleo Essencial (3-4%): carvona (30-60%), d-limoneno, felandreno (hidrocarboneto), eugenol, anetol, cariofileno, dilapiol e miristicina; Flavonóides: kempferol e ácidos fenólicos; Saponinas; Cumarinas: escopoletina esculetina, bergapteno e umbeliferona; Ácidos Graxos; -sitosterol.

Indicações e Ações Farmacológicas: O Endro é indicado nas dispepsias, meteorismo, nos espasmos gastrintestinais e na lactação. Externamente é aplicado na limpeza e desinfecção de feridas, queimaduras e ulcerações.
O óleo essencial de Endro tem demonstrado possuir uma forte atividade bactericida contra a E.coli, Bacillus subtilis, Shigella disenterae e Salmonella typhi, todos os microorganismos responsáveis por promoverem diarréias e infecções do tubo digestório. Também tem demonstrado possuir propriedades fungicidas frente ao Microsporum gypseum, Trychophytum rubrum e T. equinum (Acosta de la Luz, L, 1993; Castleman M., 1996).
Os seus frutos proporcionam ação digestiva, diurética, antiespasmódica, galactogênica e aromatizante.

Toxicidade/Contra-indicações: O Endro não tem apresentado sinais de toxicidade aguda em doses de até 5 g/kg durante oito horas de tratamento em ratas (Reyes M. e Saraiva G., 1995). A respeito da alta quantidade de carvona em seu óleo essencial, não se deve usar abusivamente já que pode promover convulsões, sobretudo em crianças (Pellecuer J., 1995).
É contra-indicado o uso de óleo essencial de Endro durante a gravidez, lactação, para crianças menores de seis anos ou para pacientes com gastrite, úlceras gastroduodenais, síndrome do cólon irritável, colite, doença de Crohn, hepatopatias, epilepsia e doença de Parkinson ou outras enfermidades neurológicas.

Dosagem e Modo de Usar:
• Infusão: Uma colher de café por xícara;
• Água Destilada de Endro: 50 a 100 g/dia.

Referências Bibliográficas:
• ALONSO, J. R. Tratado de Fitomedicina. 1ª edição. Isis Ediciones. Buenos
Aires. 1998 ( o qual cita as referências mostradas nos itens Indicações e Ações
Farmacológicas/ Toxicidade e Contra-indicações).

• PR VADEMECUM DE PRECRIPCIÓN DE PLANTAS MEDICINALES. 3ª
edição. 1998.

• SOARES, A. D. Dicionário de Medicamentos Homeopáticos. 1ª edição. Santos
Livraria Editora. 2000.

Um comentário:

Canal' disse...

Bom dia amigo.
Procuro Euphrasia, você tem idéia de onde consigo um fornecedor ??
Canal
drcanal@polivet-itapetininga.vet.br