Pesquisa personalizada

Olá Amigos e Amigas, Bem vindo!!!

A idéia deste Blog é com o intuito de fornecer informações sobre Ervas e Insumos em geral.

Através de um estudo arduo e minuncioso, conseguimos trazer para vocês informações sobre cada Erva para auxilio de estudo e orientação quanto ao uso.

Vale salientar que todas as Ervas publicadas neste Blog são de fontes verdadeiras. Essas são encontradas sempre ao final de cada texto.

Espero que este Blog seja útil para todos vocês e se possível divulguem para que possamos trocar idéias a respeito dessas maravilhas que a Natureza nos oferece de graça.

Voltem sempre, pois estaremos semanalmente atualizando este Blog com outras Ervas.

Para encontrar a sua erva preferida, clique nas datas ao lado e boa leitura!!!

Abraços,

segunda-feira, 23 de março de 2009

Hidraste

Herbácea oriunda do Canadá, o Hidraste é uma planta já descrita em pelo menos uma edição de quase todas as Farmacopéias existentes no mundo. Possui caule aéreo com 12-30 centímetros; folhas alternas, lobadas, nervação palmada, denteadas, de 10-20 centímetros de diâmetro; inflorescência terminal uniflora; flores hermafroditas, branco-esverdeadas, regulares, de receptáculo convexo, com três sépalas; estames numerosos, fixados em espiral sobre o receptáculo; carpelos em número indefinido; fruto múltiplo. A importância terapêutica do Hidraste está em suas raízes e rizomas, descritos nas três primeiras edições da Farmacopéia Brasileira. Os rizomas e as raízes são apresentados da seguinte forma na Farmacopéia dos Estados Unidos do Brasil 2ª Edição (1959) e na Farmacopéia Brasileira 3ª Edição (1977): “O rizoma, de 2 a 6 cm de comprimento e 4 a 10 mm de diâmetro, apresenta-se, muitas vezes dilatado, de cor pardo-escura e com rugas longitudinais, com largas cicatrizes deprimidas no centro, provenientes da queda dos caules e outras menores originadas da queda dos brotos e raízes. Suas partes laterais e inferiores possuem amiúde numerosas raízes, longas, filiformes, quebradiças e facilmente separáveis. Fratura curta, córnea e amarela. Sua secção transversal apresenta: uma casca amarelo-parda clara, um tanto espessa, uma zona lenhosa representada por um círculo formado de 10 a 20, ordinariamente formado de 14 feixes cuneiformes, esbranquiçados e uma medula volumosa.” Segundo a Pharmacopéia dos Estados Unidos do Brasil (1926): “Seu cheiro é aromático e nauseoso e seu sabor muito amargo; mastigado, tinge a saliva de amarelo.”
Muitas vezes os rizomas do Hidraste é falsificada com rizomas de outros vegetais, principalmente de Aristolochia serpentaria e raízes de Paeonia, Cypripedium e Eupatorium. Os índios norte-americanos usam para o rizoma para tingir de amarelo seus utensílios e vestes.

Nome Científico: Hydrastis canadensis L. Sinonímia: Warnera canadensis Mill., Warnera diphylla Rafin. e Warnera tinctoria Rafin.

Nome Popular: Hidraste, Cânhamo do Canadá, Hidrastis, Hidrasto e Raiz Amarela, no Brasil; Golden Seal, Orange Root, Turmeric Root, Yelllow Puccoon, Eye Root, Eye Balm, Indian Paint, Indian Dye, Indian Plant, Jaundice Root, Wild Curcuma, Ground Raspberry e Yellow Root, em inglês; Idraste e Idraste Canadense, na Itália; Hydraste du Canada, na França; Cúrcuma Canadiense e Hidrastis del Canada, em língua espanhola.

Denominação Homeopática: HYDRASTIS.

Família Botânica: Ranunculaceae.

Parte Utilizada: Rizoma e raízes.

Princípios Ativos: Alcalóides do tipo benzilisoquinolêinico: hidratina (C8H21O6N, a qual sofre oxidação e dando origem ao ácido opiânico e hidrastinina), berberina, canadina e berbasterina; Glicose e Amido.

Indicações e Ação Farmacológica: O Hidraste é indicado nas hemorragias pós-parto, metrorragia, menorragia, varizes, hemorróidas e úlceras varicosas.
A hidrastina e a hidrastinina (produto da oxidação da hidrastina) atuam como vasoconstritor de origem central, hemostático, hipotensor e oxitóxico, aumentando o tônus e as contrações uterinas. A berberina age como hipotensor e estimulante do peristaltismo intestinal e do tônus uterino. Empiricamente é utilizado no tratamento de cistites.
Um outro derivado da hidrastina, a cotarnina, é empregado com bons resultados em preturbações uterinas, sendo utilizado geralmente sob a forma de cloridrato, adotando o nome de estipcina.

Toxicidade/Contra-indicações: A droga constituída de Hidraste é tóxica em doses elevadas, devido a presença de alcalóides, provocando desta forma convulsões, seguidas de paralisias bulbar e medular.
O tratamento com Hidraste exige abstinência total de álcool, já que este se caracteriza como um elemento antagônico.
É contra-indicado na gravidez, na lactância e para indivíduos que apresentem transtornos tensionais, devido aos alcalóides presentes.

Dosagem e Modo de Usar:
• Uso Interno:
- Extrato Seco (5:1): 100-200 mg/cápsula, uma ou duas cápsulas ao dia;
- Extrato Fluido (1:1): 0,5 a 1,5 gramas ao dia (40 gotas/grama);
- Tintura (1:10, com 2% de alcalóides totais): 20-30 gotas por dose, duas a tr6es vezes ao dia.

• Uso Externo:
- Em cremes, pomadas antivaricosas e anti-hemorroidais.


Referências Bibliográficas:
• FARMACOPÉIA DOS ESTADOS UNIDOS DO BRASIL 2ª edição, 1959.

• ALBINO, R. Pharmacopéia dos Estados Unidos do Brasil. 1ª edição. 1926.

• COIMBRA, R. Manual de Fitoterapia. 2ª edição. 1994.

• POULIN, M; ROBBINS, C. A Farmácia Natural. 1992.

• SOARES, A. D. Dicionário de Medicamentos Homeopáticos. 1ª edição. Santos
Livraria Editora. 2000.

2 comentários:

MAUFARAON disse...

Onde posso encontrar o extrato desta planta no Brasil? Em algumas reportagens em inglês diz que é um medicamento para o tratamento da giardiase, está correta essa informação?
aguardo resposta por email

Beatriz Nobre disse...

odiei esse saite ele e idiota nao sabe se diridir as perguntas