Pesquisa personalizada

Olá Amigos e Amigas, Bem vindo!!!

A idéia deste Blog é com o intuito de fornecer informações sobre Ervas e Insumos em geral.

Através de um estudo arduo e minuncioso, conseguimos trazer para vocês informações sobre cada Erva para auxilio de estudo e orientação quanto ao uso.

Vale salientar que todas as Ervas publicadas neste Blog são de fontes verdadeiras. Essas são encontradas sempre ao final de cada texto.

Espero que este Blog seja útil para todos vocês e se possível divulguem para que possamos trocar idéias a respeito dessas maravilhas que a Natureza nos oferece de graça.

Voltem sempre, pois estaremos semanalmente atualizando este Blog com outras Ervas.

Para encontrar a sua erva preferida, clique nas datas ao lado e boa leitura!!!

Abraços,

segunda-feira, 30 de março de 2009

Marcela

Trata-se de um subarbusto caracterizado por apresentar uma altura de cerca de 80 centímetros de altura. De caule ereto coberto por uma pilosidade de cor esbranquiçada; suas folhas são oblongas ou lanceoladas, alternas, sésseis e densamente tomentosas. A Pharmacopéia dos Estados Unidos do Brasil 1ª Edição (1926) descreve as flores da Marcela da seguinte maneira: “As flores da macella são amarelas, reunidas em número de 5 a 6 em capítulos discóides, heterogâmicos, densamente agrupados em glomérulos paniculados; as flores centrais, em número de 1 a 3 (freqüentemente uma única) são tubulosas, hermafroditas; se as exteriores, raras, são filiformes femininas. O invólucro é cilíndrico, de 6 a 7 mm de comprimento, com 10 a 11 bracteas amarelo-pardas, estreitas, escariosas, multi-seriadas, sendo as internas lanceoladas-agudas e as externas gradualmente menores, oblongas ou agudas; o receptáculo é pequeno, nu ou fimbrilífero. As corolas das flores femininas são filiformes, de vértice denteado, e das flores hermafroditas regulares; tubulosas, de limbo estreito e dentes lanceolados. As anteras são sagitadas na base, com as aurículas caudadas. O estilete tem ramos longos, truncados. Os aquênios são obovóides, glabros, pardos, papilosos. Papo uniseriado, branco, com cerca de 20 cerdas delicadas, ciliadas, de 4 mm de comprimento.
Essas flores possuem cheiro particular e sabor amargo e aromático.”
A Marcela foi uma planta muito empregada pelos indígenas sul-americanos, quando empregada com ação digestiva, antiinflamatória, emenagoga e anti-séptica.
A Marcela é originária do sudeste da América do Sul. É encontrada principalmente no Brasil, no Uruguai e na Argentina.

Nome Científico: Achyrocline satureoides (Lam.) D.C. Sinonímia: Gnaphallium satureoides Lam.

Nome Popular: Marcela, Marcela do Campo, Losna do mato, Camomila-nacional, Alecrim-de-parede, Macela-amarela, Macela-da-terra, Macela-do-sertão, Macelinha e Chá de Lagoa, no Brasil; Marcela Hembra e Marcela Branca, no Uruguai; Pirayu e Yatei Caa, no Paraguai; Huira Huira, na Guatemala.

Família Botânica: Asteraceae (Compositae).

Parte Utilizada: Flor e caule.

Princípios Ativos: Óleo Essencial: 1,8-cineol, cariofileno, óxido de cariofileno, issognafalina, galangina, metil-éter de galangina, protocatequilcalerianina, cafeoilcalerianina, -cadineno, cariatina, italidipirona, D-germacreno, lauricepirona, -pineno, tamarixetina, alnustina, ácido cafêico, canfeno, mirceno, -terpineno, borneol, -terpineol, -gurjuneno,
-guaiano e -himachaleno; Flavonóides; Pigmentos Amarelos; Resinas; Taninos; Princípios Amargos; Ácidos Polifenólicos.

Indicações e Ação Farmacológica: A Marcela é indicada e, problemas digestivos, como flatulência, má digestão e diarréias; como calmante; nas inflamações e nas contrações musculares. Externamente é usada como estimulante da circulação capilar e como proteção para peles e cabelos delicados, além de ser usado contra a queda de cabelos.
Já é sabido que extratos de Marcela possui atividade antiherpética, antinflamatória local, antibacteriana, antimicótica, analgésica, antiespasmódica, antioxidante, miorelaxante e sedante. A atividade antiinflamatória tópica é devida a uma ação conjunta dos flavonóides quercetina-3-metiléter, luteolina e quercetina.
A ação antibacteriana é significativa sobre os agentes patogênicos que atacam a pele (principalmente o Staphylococcus aureus), sendo responsáveis por esta ação o ácido cafêico e o flavonóide quercetina presentes nos extratos aquosos. Comprovou-se também a ação sobre outros microorganismos como o Bacillus subtilis e o Micrococcus luteus.
Atribui-se aos ácidos polifenólicos contra a atividade antiherpética, possuindo a capacidade de reduzir a capacidade infectante dos vírus.
A fração polissacarídica da droga vegetal administrada via intra-peritoneal em ratos, é responsável por uma atividade imunoestimulante.
O extrato aquoso aplicado sobre organismos procariotos, obteve-se uma atividade mutagênica e genotóxica. O extrato etanólico das flores de Marcela numa concentração de 250 g/ml também manifestou mutagenicidade e efeitos líticos sobre o Trypanosoma cruzi, agente patogênico da Doença de Chagas.
Os flavonóides estimulam a circulação, reduzindo então a fragilidade capilar. É rapidamente absorvido pela pele e observou-se aumentar a circulação sanguínea periférica.
E por fim a atividade digestiva desta espécie não está ainda suficientemente esclarecida. Acha-se que os flavonóides e alguns compostos tânicos participariam da mesma.

Toxicidade/Contra-indicações: Não há referências na literatura consultada.

Dosagem e Modo de Usar:
• Uso Interno:
- Infusão: 20 gramas para 1 litro de água: 50 a 200 ml diários (para fins digestivos, antiespasmódicos e antiinflamatórios);
- Pó: até 2 gramas diárias com doses unitárias máximas de 0,5 grama;
- Extrato Seco: até 0,2 grama em doses de 0,05 grama.
- Tintura: 20 gramas das inflorescências em 100 ml de álcool 60º.

• Uso Externo:
- Cosméticos: Shampoos e Sabonetes: 2-5% do extrato glicólico.

Referências Bibliográficas:

• ALBINO, R. Pharmacopéia dos Estados Unidos do Brasil. 1ª edição. 1926.

• ALONSO, J. R. Tratado de Fitomedicina. 1ª edição. Isis Editora. Buenos
Aires 1998.

• TESKE, M.; TRENTINI, A. M. Herbarium Compêndio de Fitoterapia.
Herbarium. Curitiba. 1994.

Nenhum comentário: