Pesquisa personalizada

Olá Amigos e Amigas, Bem vindo!!!

A idéia deste Blog é com o intuito de fornecer informações sobre Ervas e Insumos em geral.

Através de um estudo arduo e minuncioso, conseguimos trazer para vocês informações sobre cada Erva para auxilio de estudo e orientação quanto ao uso.

Vale salientar que todas as Ervas publicadas neste Blog são de fontes verdadeiras. Essas são encontradas sempre ao final de cada texto.

Espero que este Blog seja útil para todos vocês e se possível divulguem para que possamos trocar idéias a respeito dessas maravilhas que a Natureza nos oferece de graça.

Voltem sempre, pois estaremos semanalmente atualizando este Blog com outras Ervas.

Para encontrar a sua erva preferida, clique nas datas ao lado e boa leitura!!!

Abraços,

segunda-feira, 30 de março de 2009

Noz de Cola

Acredita-se que o homem do período Paleolítico já utilizava plantas com alcalóides metilxantínicos com as quais preparava as suas bebidas. A Noz de Cola participa de algumas cerimônias sociais na África e na Ásia, a qual foi transmitida para as culturas afro-americanas.
É uma árvore sempre verde que apresenta uma altura de cerca de 15 metros. As folhas são coriáceas, inteiras, oval-oblongas e pecioladas com aproximadamente 10-20 centímetros de comprimento. As flores são dispostas em panículas amarelas. O fruto é polifolicular estrelado.
A Pharmacopeia dos Estados Unidos do Brasil 1ª edição (1926) descreve as sementes, parte utilizada na terapêutica assim:
“A semente de cola, impropriamente denominada noz, é de forma e tamanho muito variável; mede geralmente de 25 a 50 mm de comprimento por 20 a 30 mm de largura e é de forma ovóide ou oblonga, obtusa, subtetragonal, deformada por compressão recíproca no interior do fruto; é recoberta por um tegumento membranoso, frouxo, cuja cor varia, na semente fresca, do branco-amarelado ao róseo-avermelhado, passando uniformente, pela dessecação, a cor de ferrugem. Cada semente é constituída por dois cotilédones carnosos reunidos e apresenta na sua base a fenda germinal curta, cruzando em ângulo reto o plano de contato dos cotilédones, os quais, quando separados, deixam ver na base da semente, no fundo da fenda germinal, uma pequena cavidade que contém às vezes a radícula e a plúmula ou os seus restos. Os cotilédones são divididos em cinco a oito lobos irregulares e perfeitamente distintos.
A semente de cola possui sabor adstringente e amargo, que diminui bastante pela dessecação.”

Nome Científico: Cola vera K. Schum. Sinonímia: Cola nitida A. Chev.

Nome Popular: Noz de Cola, Cola, Coleira, Gurú, Kola, Kolateira, Nangolê, Obi, Oby, Oubi, Orobó e Riquesu, em português; Cola e Kola, em espanhol; Cola, Kola Nut e Cola Seed, em inglês; Kolanussbaum, na Alemanha.

Denominação Homeopática: STERCULIA.
Observação: Utiliza-se principalmente em Homeopatia a espécie Cola acuminata Schott et Endl., porém faz-se uso também da Cola vera K. Schum.

Família Botânica: Sterculiaceae.

Parte Utilizada: Sementes.

Princípios Ativos: Alcalóides Metilzantínicos: cafeína, teobromina; Taninos Condensados: d-catequina, -epicatequina; Betaína; Colina; Sais Minerais: Fósforo, magnésio, cálcio e potássio; Áscido Silícico; Celulose; Ácidos Graxos; Protocianidinas.

Indicações e Ação Farmacológica: A Noz de Cola é indicada como energizante nas astenias, hipotonias, hipotensão, bradicardia e convalescência.
As plantas que contêm metilxantinas, tais como Noz de Cola, Guaraná, Erva Mate, Chá Verde, Café, Cacau são consideradas estimulantes do sistema nervoso central. Todas estas atuam melhorando a função intelectual (associação de idéias, atenção); estimulam a atividade cardiorespiratória ao atuar sobre os centros bulbares, vasomotor e vagal, gerando um aumento da freqüência cardíaca, vasodilatação coronária e aumento do ritmo respiratório; aumentam o metabolismo basal e a lipólise; estimulam a atividade músculo-esquelética; relaxam a musculatura lisa; produzem um suave efeito diurético e estimulam a secreção gástrica (Goodman e Gilman A.; 1986; Ibu, J. et al., 1986; Newall C. et al., 1996.).

Toxicidade/Contra-indicações: Em geral o consumo contendo alcalóides metilxantínicos, como o Guaraná, em bebidas pode ocasionar ansiedade, palpitações, tremores, insônia, excitação (seguido de depressão) e cefaléia. Nos países, como o Sudão, onde se mastiga na forma habitual natural (como estimulante e afrodisíaco), tem-se observado uma maior incidência de câncer provavelmente devido à ação dos taninos (Morotn J., 1992).
Devido ao teor de cafeína, não administrar nos casos de hipertensão arterial, úlcera gastroduodenal, insônia, hipercolesterolemia, gravidez, transtornos cardíacos severos e distonias neurovegetativas em geral. As metilxantinas passam para o leite materno, e, é muito ínfimo o risco para o bebê. Não deve ser administrado para crianças (Newall C. et al., 1996).

Dosagem e Modo de Usar:
• Uso Interno:
Pó: 1 a 2 g/dia, em cápsulas;
Extrato Seco (5:1): 0,3 a 1 g/dia;
Extrato Fluido (1:1): 20-60 gotas, uma a três vezes ao dia.

Referências Bibliográficas:
• SCHAWENBERG, P.; PARIS, F. Guia de las Plantas Medicinales. Omega.
1980.

• PR VADEMECUM DE PRECRIPCIÓN DE PLANTAS MEDICINALES. 3ª
edição. 1998.

• ALONSO, J. R. Tratado de Fitomedicina. 1ª edição. Isis Editora. Buenos
Aires 1998.





• SOARES, A. D. Dicionário de Medicamentos Homeopáticos. 1ª edição. Santos
Livraria Editora. 2000.

• ALBINO, R. Pharmacopéia dos Estados Unidos do Brasil. 1ª edição. 1926.

Um comentário:

blogger disse...

ola boa tarde,eu gostaria de saber como posso comprar noz de cola esta muito dificil de eu encontrar,obrigada e boa tarde.