Pesquisa personalizada

Olá Amigos e Amigas, Bem vindo!!!

Blog desenvolvido para ajudar as pessoas a encontrarem a melhor erva para o seu problema de saúde.

As informações deste blog não pretendem substituir o médico e sim dar um alívio mais imediato ao paciente, evitar consultas por males insignificantes, diminuindo os gastos sociais e deixar os serviços médicos para os casos mais importantes. Serve também para orientar pacientes em locais carentes

Aproveite esta oportunidade e compartilhe com seus amigos.

sexta-feira, 6 de março de 2009

Cana do Brejo


A Cana do Brejo é uma planta de porte herbáceo de hastes duras e cilíndricas, atingindo até 80 centímetros de altura, sendo os brotos novos mais grossos do que as hastes adultas. As folhas são verde-escuras, espiraladas, curto-pecioladas, invaginantes obovadas, paralelinervadas, com bainha pilosa e avermelhada nas margens. Apresenta inflorescências em espiga terminal de seis a dez centímetros, cercadas por brácteas escamosas cor de marfim e com flores amareladas.

Nome Científico: Costus spicatus Sw. Sinonímia: Costus anachiri Jacq.; Costus arabicus Aubl.; Costus cornicus Stokes; Costus quintus Roem. et Schult.

Nome Popular: Cana do Brejo, Cana do Mato, Cana de Macaco, Cana Roxa, Jacuacanga, Paco-caatinga, Periná e Ubacaia, em português; Canne Déari, Carne Congo, na França.

Denominação Homeopática: COSTUS SPICATUS.

Família Botânica: Costaceae.

Parte Utilizada: Caule e folha.

Princípios Ativos: Óleo Essencial; Ácidos Orgânicos; Resinas; Substâncias Albuminóides; Taninos.

Indicações e Ações Farmacológicas: Popularmente a Cana do Brejo é conhecida pela ação adstringente, diurético, depurativo e emenagogo. É empregado nas nefrites e cálculos renais, nas inflamações da uretra, na blenorragia e na leucorréia.

Toxicidade/Contra-indicações: Não há referências nas literaturas consultadas.

Dosagem e Modo de Usar:
Popularmente, a Cana do Brejo pode ser utilizada da seguinte maneira:
Leucorréia: cozinhar 50 gramas de hastes e folhas em um litro de água e fazer lavagem.
Extrato Fluido: de 2 a 10 ml ao dia.

Referências Bibliográficas:
• COIMBRA, R. Manual de Fitoterapia. 2ª edição. Cejup. 1994.

• VIEIRA, L.S. Fitoterapia da Amazônia. Editora Agronômica Ceres. São Paulo.

• SOARES, A. D. Dicionário de Medicamentos Homeopáticos. 1ª edição. Santos
Livraria Editora. 2000.

• Flora Brasileira – Primeira Enciclopédia de Plantas do Brasil. Volume 1. Editora
Três. 1984.

Um comentário:

CLEYTON disse...

EU TENHO GOTA, E PELO FATO DA DOENÇA E USO MUITO PROLONGADO DE ANTIFLAMATÓRIOS QUASE PERDI MEUS RINS. GOSTARIA DE SABER SE POSSO FAZER USO DA CANA DE MACACO , POIS ELE TEM EFEITOS ANTIFLAMATÓRIOS TAMBÉM, MEU EMAIL PARA RECEBER A RESPOSTA E SGTCLEYTON@HOTMAIL.COM

Publicidade