Pesquisa personalizada

Olá Amigos e Amigas, Bem vindo!!!

A idéia deste Blog é com o intuito de fornecer informações sobre Ervas e Insumos em geral.

Através de um estudo arduo e minuncioso, conseguimos trazer para vocês informações sobre cada Erva para auxilio de estudo e orientação quanto ao uso.

Vale salientar que todas as Ervas publicadas neste Blog são de fontes verdadeiras. Essas são encontradas sempre ao final de cada texto.

Espero que este Blog seja útil para todos vocês e se possível divulguem para que possamos trocar idéias a respeito dessas maravilhas que a Natureza nos oferece de graça.

Voltem sempre, pois estaremos semanalmente atualizando este Blog com outras Ervas.

Para encontrar a sua erva preferida, clique nas datas ao lado e boa leitura!!!

Abraços,

terça-feira, 10 de março de 2009

Cardamomo

Há muito tempo o Cardamomo é conhecido, sendo utilizado desde o tempo dos egípcios para aromatizar o café. Espécie próxima do Gengibre, o Cardamomo é nativo das ilhas tropicais úmidas do sul da Índia. É uma planta vivaz, de rizoma espesso e grande e com folhas ovadas e agudas. As flores são pequenas e amareladas com um lábio purpúreo. As sementes são freqüentemente vendidas junto com o fruto, sendo este caracterizado por ser uma cápsula ovóide trigonal, trilocular, contendo três lojas, cada uma das quais encerra de quatro a sete sementes. As sementes são descritas pela Pharmacopeia dos Estados Unidos do Brasil 1ª edição (1926) da seguinte maneira: “As sementes de cardamomo apresentam-se geralmente aglutinadas em massas, em número de 2 a 7; são oblongas-ovóides, triangulares ou irregularmente quadrangulares, convexas na face dorsal, fortemente escavadas longitudinalmente numa das suas faces, e medem de 3 a 4 mm de comprimento; externamente são de cor cinzento-parda avermelhada, grosseiramente tuberculosas ou rugosas e apresentam porções mais ou menos aderentes do arilo claro, delgado e membranoso, que as envolve.
Seu corte apresenta: um episperma delgado, pardo-avermelhado; um largo perisperma branco e um endosperma ou albume central, esverdeado que envolve um pequeno embrião reto e cilíndrico.” E ainda acrescenta:
“Nota – A semente de cardamomo deve ser conservada dentro do fruto, de onde só deve ser retirada para emprego imediato.”

Nome Científico: Elletaria cardamomum (Roxburgh) Maton. Sinonímia: Apronum racemosum Lamk.; Amomum compactum Roem. et Sch.; Alpinia cardamomum Roxburgh.

Nome Popular: Cardamomo, Cardamomo-de-Malabar, Cardamomo-de-Sião e Cardamomo-menor, em português; Cardamomo, em espanhol; Cardamome, na França; Kardamomen, na Alemanha; Cardamon, em inglês.

Família Botânica: Zingiberaceae.

Parte Utilizada: Fruto e semente.

Princípios Ativos: Óleo Essencial: limoneno, cineol, -terpineol, acetato de terpinilo, borneol; Amido; Ácidos Graxos: caprílico, capróico, palmítico, esteárico, oléico e linolêico; Fitosteróis.

Indicações e Ações Farmacológicas: O Cardamomo é indicado na inapetência, no meteorismo, na dispepsia, nos resfriados comuns, nos estados febris, na faringite. Externamente é aplicado sobre as dermatomicoses e infecções cutâneas.
Apresenta as seguintes ações farmacológicas: aromático, estimulante do apetite, digestivo, carminativo, bacteriostático e fungicida.

Toxicidade/Contra-indicações: O óleo essencial puro pode ser neurotóxico e dermocáustico. Não administrar, nem aplicar topicamente em crianças menores de 6 anos nem a pessoas com alergias respiratórias ou com hipersensibilidade conhecida a óleos essenciais. É contra-indicado o uso de óleo essencial por via interna durante a gravidez, lactação, para crianças menores de 6 anos ou para pacientes que apresentem alguma enfermidade gastrintestinal, como gastrite ou síndrome do Cólon Irritável bem como enfermidade neurológica, destacando a doença de Parkinson ou epilepsia.

Dosagem e Modo de Usar:
- Infusão: Uma colher de sobremesa (4 a 6 frutos) por xícara, infundir durante 10 minutos e tomar duas ou três vezes ao dia;
- Pó: 200 a 500 mg por dose, uma a três ao dia;
- Extrato Fluido (1:1): 20 gotas (0,5 g), uma a três vezes ao dia;
- Tintura (1:5): 50 gotas, uma a três vezes ao dia.

Referências Bibliográficas:
• PR VADEMECUM DE PRECRIPCIÓN DE PLANTAS MEDICINALES. 3ª edição.
1998.

• ALBINO, R. Pharmacopeia dos Estados Unidos do Brasil. 1ª edição. 1926.

• PDR for Herbal Medicines. 1st editon. Medical Economics. 1998.

• OLIVEIRA, F.; AKISUE, G.; AKISUE, M. K. Farmacognosia. 1ª edição.
1996.

Nenhum comentário: